Gosto muito de historias, contos, metáforas e há muitos anos essa reflexão me acompanha. Mais atual e necessária do que nunca, hoje quero compartilhar com vocês…

O discípulo procura seu Mestre na montanha para aprender algo importante sobre como ser um bom líder. Em frente ao Mestre podia se ver um grande vale no qual corria um rio caudaloso. Mestre e discípulo mantiveram-se calados por um bom tempo. Após algumas horas, já entardecendo, o Mestre caminhou até uma margem do rio, acompanhado do discípulo, e fez uma fogueira. Quando as labaredas subiam altas, o Mestre apontou para a fogueira e disse:

– Preste muita atenção agora!

As chamas eram altas, lindas. Ambos ficaram fitando o fogo durante horas. A noite veio e se foi. A aurora chegou, as chamas já não dançavam mais, apenas brasas terminavam de queimar com pouco brilho. Subitamente o Mestre levantou seu braço e apontando para o rio disse:

– Preste muita atenção agora!

O discípulo viu um rio forte seguindo seu curso, sem parar. O Mestre então começou a falar:

– Agora, meu jovem, talvez você entenda como é ser um verdadeiro líder.

O discípulo fez uma cara de confusão e o Mestre continuou:

– Reflita meu jovem, sobre a natureza do fogo que queimava diante de nós. Era forte, poderoso. Suas chamas subiam como se vangloriando de algo. Nenhuma grande árvore ou animal poderia se igualar em força, com facilidade poderia ter conquistado tudo ao seu redor.

Em contraste, o rio, meu jovem, começou como um pequeno fio de água nas montanhas distante. Ás vezes rola macio, outras vezes mais rápido, sempre navegando para baixo, tomando as terras abaixo do seu curso. Contorna qualquer obstáculo, abraça qualquer fenda, tão humilde é sua natureza. A água dificilmente pode ser ouvida. Quando a tocamos, percebemos que ela dificilmente pode ser sentida, tão gentil é sua natureza.

E no final o que sobrou daquele fogo todo poderoso?

Somente um punhado de cinzas. Por ser tão forte, ele destrói tudo à sua volta, mas também se torna vítima. Ele consome a si mesmo com sua própria força.

O rio não. Ele é calmo, quieto. Assim, ele vai rolando, crescendo, ramificando-se, tornando-se mais poderoso a cada dia em sua jornada em direção ao imenso oceano. Ele provê a vida e sustenta a todos. Da mesma maneira como na natureza, meu jovem, isso ocorre com os homens. Há aqueles que são como o fogo. Poderosos, arrogantes, autoritários. Duram pouco e deixam cinzas ao seu redor.

Há os que são humildes como a água, donos de uma força interior de grande alcance e capazes de capturar o coração das pessoas. Os primeiros não constroem. Os últimos trazem uma primavera de prosperidade às suas províncias.

– Reflita meu jovem, que tipo de homem você é?

O jovem ergueu os olhos e, como de um feixe de luz da verdade os iluminasse, percebeu a linda imagem à sua frente, o sol nascia do outro lado do rio….

Vamos seguir trazendo recursos e compartilhando dicas para que possamos cada vez mais ser como o rio, passar por essa vida construindo prosperidade a nossa volta, com muita leveza na jornada!!

Um abraço

Deisi Nara Bierende

 

Chat with us on WhatsApp